Uma das 56 ilhas da Baía de Todos os Santos, a Ilha de Maré foi a terceira que conheci em minhas recentes visitas a Salvador (BA). E apesar da atenção nacional que a comunidade ganhou com o Restaurante Preta, sempre repleto de influencers e globais, não senti vontade alguma de conhecê-lo neste primeiro momento. E explico: para quê pagar mais caro por comida baiana sofisticada, se poderia investir um preço menor e provar o real sabor da comida local nos ensopados, catados e moquecas dos próprios habitantes?

Lambreta e caranguejo em Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Nos três dias em que passei preguiçosa naquele distrito da capital baiana, hospedada em casa de amigos, marisqueiros traziam o tempo inteiro seus caranguejos e demais frutos do mar, perguntando se queríamos algum preparo. Ao lado da pesca e da agricultura familiar, a mariscagem é fonte de subsistência dos nativos, principalmente mulheres. Estes, em grande parte, negros pertencentes à comunidade quilombola que engloba 644,7 hectares na Ilha.

Siri Catado em Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

A primeira garfada no Siri Catado preparado pelo Bar do Bira, ali em Itamoabo, foi fulminante. Poderia passar o dia me alimentando desse ensopado de tempero marcante, mas havia tanto mais a provar: peguari (abundante na localidade), sururu, chumbinho, papa-fumos, lambreta e muitos, muitos peixes saborosos… Tudo ali, colhido pouco antes da gente se alimentar. E, de sobremesa, o saboroso doce de banana embalado na palha de bananeira.

Concha de Peguari, em Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Para além da gastronomia, a Ilha de Maré é famosa pelo artesanato em renda de bilro e pelas construções históricas, como as igrejas de Senhora Santana, do século XIX, e a igreja Nossa Senhora das Neves, construída pelo padre Bartolomeu Pires no século XVI. Essas atrações turísticas, mais o restaurante famoso Preta (ou da Darcy, que dizem ser muito bom também) vão ficar para uma segunda visita.

Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Por-do-sol na praia de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Fotografando o por-do-sol na praia de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Como ir a Itamoabo, na Ilha de Maré

Embarcação chegando à praia de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Para chegar até a Ilha de Maré, fomos de carro até Terminal Marítimo de São Tomé de Paripe, de onde partem barcos diariamente de 20 em 20 min, até as praias de Itamoabo, Botelho, Praia Grande e Santana. Em grupos maiores, a travessia fica por volta de R$ 5 com os barqueiros e dura, em média, 25 minutos.

Barco em Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Vista para a Baía de Todos os Santos a partir de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Logo ao lado do ponto da travessia, há um grande paredão que separa nossa praia da “Praia dos Presidentes”. A areia é mais alvinha, tem uns coqueirais magníficos, e é interessante ver de perto o local onde os paparazzi brasileiros já fotografaram FHC e Dilma.

Se quiser ir de ônibus, pegue o que vai para a Base Naval e desça no final de linha.

Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Saia de casa com uma roupa leve e sandálias que possam ser molhadas. Não há atracadouro e você saltará da embarcação para dentro do mar, com água que – dependendo da maré – pode ir até a cintura. Se estiver com problemas de locomoção, vou ser bem sincera: repense o passeio.

O que considerar num bate-volta em Itamoabo, na Ilha de Maré (no altíssimo verão)

Vale ressaltar que Itamoabo não é – no altíssimo verão – para quem procura silêncio ou descanso. Soube que no restante do ano a região é um delicioso refúgio e é até complicado achar bares abertos, mas nos últimos dias de 2017, a praia estava lotada, agitada, quase efervescente. Pelo menos até às 17h, quando há diversas embarcações chegando e partindo.

Vista para a Baía de Todos os Santos a partir de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

O vuco-vuco pode começar na própria travessia. Se for feriadão, como era o caso daquele 29 de dezembro, Paripe estará lotada. Os preços para deixar seu carro num estacionamento seguro sobem para até R$ 20 (o preço normal é R$ 10 a diária). Fique atento à lotação dos barcos, alguns podem exagerar e querer levar mais gente que o permitido.

Quando vão chegando às margens da Ilha, fazem ressoar suas buzinas aos que estão em trânsito. Sem estrutura para desembarque de passageiros ali em Itamoabo, as embarcações chegam muito próximas aos banhistas. Outros barqueiros, enquanto esperam lotação, ignoram toda e qualquer boa prática ambiental e tocam os grandes sucessos do funk nacional nos mais altos decibéis.

Vista para a Baía de Todos os Santos a partir de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

Embora todo esse furdunço aconteça durante o dia, não há nada que aquele mar azul, calmo e de águas mornas, aquela areia clarinha e a deliciosa comida local não te façam relevar. Inclusive, eu falei do queijinho assado com orégano na hora, aromatizando toda a praia? E da vista privilegiada para a Baía de Todos os Santos?

Pois é.

Paula Theotonio na praia de Itamoabo, Ilha de Maré, Salvador (BA)

O que você achou deste assunto? Comente!

Comentários