Já estão à venda as primeiras garrafas da Vinum Sancti Benedictus (VSB), projeto de viticultura de precisão com sede em Curaçá (BA), acompanhada pela Embrapa Uva & Vinho, e vinificação realizada pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano (IF-Sertão PE).

Segundo o sommelier e sócio-fundador da VSB, José Figueiredo, o assemblage (vinho feito com diferentes variedades de uvas) elaborado com cortes de Syrah, Touriga Nacional e Tannat tem potencial para agradar aos mais exigentes paladares. “Eu acredito que será o melhor tinto do Vale em 2018 e o melhor do Brasil de 2019”, aposta o especialista.

São apenas 300 garrafas disponíveis para compra diretamente com o produtor, pelo whatsapp 87 9 9645 5814, email figueiredo@vsbvinhos.com.br ou pelo instagram da marca. Cada pessoa poderá adquirir, no máximo, duas unidades. Cada uma custa R$ 90.

Precisão e cuidados especiais na produção da VSB

vinho de curaçá vsb josé figueiredo

Os pesquisadores Marcos Lima (IF-Sertão) e Giuliano Pereira (Embrapa) acompanharam a produção do VSB do vinhedo até a vinificação, com técnicas que podem mudar o conceito de elaboração de vinhos tropicais. Foto: Divulgação/VSB.

O bom desempenho desta primeira safra é resultado de um minucioso trabalho, que vai do campo até o processo de vinificação. Entre as técnicas utilizadas para elaborar o complexo vinho de Curaçá (BA), estão o raleio de cachos e escolha manual das melhores bagas. A colheita foi noturna, pois a temperatura mais baixa influencia diretamente nos sabores, acidez, aromas e cores da bebida fina. Já no Laboratório de Bebidas do IF-Sertão, as uvas passaram por desengace manual, eliminando risco de quebra do engaço e fermentação destes, levando um sabor indesejado ao vinho. “A prensagem também foi manual e escolhemos leveduras específicas para cada variedade”, indicou José Figueiredo.  O tempo de maceração também foi controlado.

Nos próximos anos, devem ser lançados rótulos feitos com uvas Sauvignon Blanc e outras variedades ainda não divulgadas, além da comercialização de rótulos diferenciados para as duas safras do ano. De acordo com Figueiredo, os vinhos colhidos no inverno – de maio a agosto – geralmente apresentam melhor qualidade e estabilidade, podendo ser comercializados como “gran reserva”, “premium” ou qualquer outra denominação que denote sua característica ainda mais superior.

Saiba mais sobre o vinho de Curaçá:

vinho de curaçá vsb josé figueiredo

Projeto teve início em 2016 em comunidade rural de Curaçá (BA). Foto: Divulgação/VSB.

O que você achou deste assunto? Comente!

Comentários