Pelo menos 500 pessoas participam, mensalmente, do roteiro enoturístico Vapor do Vinho – um passeio de barco pelo Lago de Sobradinho/BA, seguido por visitas à fazenda de manga e uva e indústria de sucos da GrandValle, bem como à Vinícola Ouro Verde (Miolo Wine Group), conhecida nacionalmente pela produção dos espumantes Terranova.
Segundo o idealizador e guia do serviço, Luiz Rogério Pereira, a maioria dessas pessoas é de turistas, vindos de todas as partes do Brasil e do mundo. “Santo de casa não faz milagre. Muitas pessoas do Vale desconhecem o roteiro, ainda que estejamos chegando ao quarto ano em funcionamento”, confessou.
Um pecado, eu diria. Digo, sem pestanejar, que deveria ser obrigatório a todos os habitantes da região. Tipo um ritual de passagem para a fase adulta, sabe? (risos) Um pré-requisito para falar qualquer coisa sobre o enoturismo gastronômico na região.
Quer saber como foi? #VEMCOMEEGO 
 
Foto: Jaquelyne Costa
Luiz Rogério atualiza turistas com dados sobre Vale do São Francisco. Foto: Paula Theotonio.
Encontrei às 8h30 um grupo de quase 100 pessoas no Vapor Saldanha Marinho, o famoso Vaporzinho, que desde 2013 tornou-se um centro de informações turísticas na Orla II de Juazeiro. Lá a inscrição é consolidada: recebi uma pulseirinha amarela e entrei no ônibus em direção a Sobradinho/BA. Passamos pela barragem e vi turistas enlouquecendo com a dimensão do lago, que continua belo mesmo com apenas 19% de sua capacidade.
Chegada ao Balneário. Foto: Jaquelyne Costa.
De lá, partimos para a vila de pescadores do Balneário Chico Periquito, de onde tomamos a barca Rio dos Currais. Com dois pisos, a embarcação feita em chapa de aço tem capacidade para 100 pessoas. Logo começa um som com voz e violão, com canções ícones do Nordeste e do forró, como ‘Petrolina e Juazeiro’, do petrolinense Geraldo Azevedo. Houve quem dançasse e quem apenas aproveitasse a companhia um do outro, sentindo a brisa do Velho Chico.
Nenhuma obrigação a não ser aproveitar a paisagem. Foto: Paula Theotonio.
Moqueca de Tilápia. Foto: Paula Theotonio.
Por volta das 13h foi servido um almoço com pratos típicos: Moqueca de Tilápia ou Carne de Sol com Cebola, Pirão de Peixe, arroz branco, Feijão Verde e saladas tropicais. Tempero suave, para não agredir aos paladares estrangeiros, porém a comida é bastante saborosa. A bebida não está inclusa no passeio, mas os turistas podem optar entre cervejas e refrigerantes ou os vinhos e sucos da terra.
Desde que entrei no ônibus até chegarmos ao distrito de Santana do Sobrado, pertencente ao município de Casa Nova/BA, onde estão as fazendas e fábricas – Rogério muniu os participantes do passeio com informações atualizadas sobre o Vale, sua cultura, economia e dados sobre agricultura.
Chegada às fazendas e vinícola
Os souvenirs do passeio são os próprios produtos. Foto: Paula Theotonio.
Gilmar Secchi recebe turistas com música. Foto: Paula Theotonio.
Packing-house da GrandValle. Foto: Paula Theotonio.
Na primeira parada, o gerente administrativo Gilmar Luiz Secchi e o gerente de logística Guilherme Secchi receberam os grupos e até chegarmos ao packing-house (onde as frutas são limpas e embaladas) da GrandValle Agrícola, ambos explicaram detalhes sobre as variedades de manga e uva produzidas lá. Depois os turistas foram recebidos com música e uma degustação do suco de uva, elaborado há um ano pela empresa, e das mangas Palmer – sem fiapos. Encantados, muitos levaram caixas e caixas dos produtos da fazenda. Bela e agradável, a área deve abrigar, nos próximos anos, um empreendimento gastronômico e um hotel.
De lá partimos para a Ouro Verde. A vinícola traz uma sensação de dèja vu a toda e qualquer pessoa que tenha visto um engenho antigo ou uma vinícola europeia, ainda que só por filme (meu caso). Um vasto terreno lotado de vinhas é encerrado por uma mansão branca e amarela e galpões anexos, onde todo o processo de fabricação de vinhos brancos e tintos, espumantes e brandies acontece. Tem até uma igrejinha. É lindo, de verdade. Após uma rápida passagem pelo maquinário e pela destilaria, os grupos foram direcionados à sala de degustação.
Isso é Vale do São Francisco sim, kiridinha. Foto: Paula Theotonio.
Rafhael Loura explica passo a passo da fabricação dos vinhos e destilados da vinícola. Foto: Paula Theotonio.
Galpão da destilaria da Vinícola Ouro Verde. Foto: Paula Theotonio.
Enquanto dava dicas divertidas de como não ser um “enochato”, o enólogo Rafhael Loura serviu Terranova Shiraz 2012, Miolo Late Harvest 2012, o Miolo Brandy Imperial (um novo Osborne?) e o espumante Terranova Moscatel. Depois, misturou estes dois últimos e revelou uma receita “amansa mulher”.  Nunca vi um povo tão feliz depois de um longo e quente dia de sábado. 
Uma confissão: queria beber mais. Foto: Paula Theotonio.
“Lampião e Maria Bonita” ou “Amansa Mulher”. Qual você prefere? Foto: Jaquelyne Costa.
O passeio custa R$ 130 e pode ser feito aos sábados, domingos, feriados e agendado com antecedência em qualquer dia da semana, desde que contenha lotação mínima de 30 passageiros. Excepcionalmente aos domingos, a embarcação pode retornar a Petrolina e Juazeiro, passando por uma das ilhas do Velho Chico. O site oficial é: www.vapordovinho.com.
Anexo: 5 dicas do coração para quem vai fazer o Roteiro Enoturístico Vapor do Vinho.
 
Felicíssima, obrigada. Foto: Jaquelyne Costa.
1. Durma cedo na noite anterior. O sono bate pesado após o almoço.
2. Eu não sabia o que vestir e estava em pânico. O dia começou frio e levei uma camisa de manga longa. Mas, hey, estamos em Petrolina em plena “primavera” (mais conhecida como os três primeiros meses de um verão quente e seco, que dura 300 dias)! Portanto vá com uma roupa leve e clara. E use um sapato baixo: você não vai precisar andar muito, mas passará por locais com asfalto, chão batido e um terreno ainda úmido.
3. Não esqueça em casa seu filtro solar potente e o óculos de sol.
4. Leve uma grana extra para beber durante o passeio e fazer a festa nas lojas das fazendas: lá os preços costumam ser melhores que nas lojas das cidades.
5. Registre tudo. A iluminação natural e azulada resultará em fotos lindas, que você olhará com saudades pelo resto de sua vida.

O que você achou deste assunto? Comente!

Comentários