Única capital brasileira fundada por Franceses, São Luís tem costumes e atrativos bem diferentes do restante do Nordeste. E as diferenças entre a cultura da cidade e o restante da região ficam ainda mais drásticas durante o período junino. Na minha opinião, esta é a melhor época para se programar uma viagem ao destino.

Em primeiro lugar: em Junho, o período de chuvas mais intensas já passou. Mas as temperaturas seguem altas. Aliás, esqueça “inverno”: os termômetros marcam graus elevados (mas não insuportáveis) o ano inteiro. Também é nessa época que dá para emendar uma visita à vizinha Raposa, à próxima e exótica Alcântara (que está bem verdinha no pós-chuvas) e até aos Lençóis Maranhenses. Nesses locais, tome banho de mar porque em São Luís, embora seja litorânea, nem sempre está a água em condições favoráveis.

As danças das festas juninas de São Luís

Bumba meu boi na Fonte do Ribeirão | Festas juninas de São Luís

Público assiste às apresentações na Fonte do Ribeirão. Foto: Fabio Neto.

Não espere forró. O público não é de dançar juntinho nos pólos e sai de casa para ver apresentações de Bumba Meu Boi, Tambor de Crioula, Cacuriá, entre outros. E diferente dos outros estados brasileiros, o Maranhão comemora quatro santos em Junho: Santo Antônio (13/06), São João (24/06), São Pedro (29/06) e São Marçal (30/06). A maior festa é a última, que marca o encerramento dos festejos.

Bumba meu boi | Festas juninas de São Luís

Índios e índias dançam vigorosamente em seus trajes de penas, colares e lanças. Boi de Santa Fé | Foto: Fabio Neto

Bumba meu boi | Festas juninas de São Luís

O Boi e o Cazumbá do Boi de Santa Fé | Foto: Fabio Neto

Bumba meu boi | Festas juninas de São Luís

Baiante do Boi de Santa Fé | Foto: Fábio Neto

O Bumba Meu Boi, por exemplo, tem mais de 100 grupos somente em São Luís. Os principais são: Boi de Morros, Boi de Axixá, Boi de Maracanã, Boi da Maioba, Boi de Santa Fé (fotos) e Boi Barrica. E cada um deles tem o seu “sotaque”; ou seja, uma forma própria de se expressar através das vestimentas, da coreografia, dos instrumentos escolhidos e da cadência da música. Os cinco sotaques mais famosos são Matraca, Zabumba, Orquestra, Baixada e Costa de Mão.

Bumba meu boi | Festas juninas de São Luís

Pai Francisco em busca da língua do boi para Catirina no Boi de Santa Fé. Foto: Fabio Neto.

Porém o “enredo” ensaiado é o mesmo: a saga de Pai Francisco; um escravo que, para saciar o desejo de sua esposa grávida por uma língua de boi, mata o gado de estimação do senhor da fazenda. Percebendo a morte do boi, o senhor convoca pajés e curandeiras para ressuscitar o animal. O boi volta à vida e a comunidade festeja.

Tambor de Crioula | Festas juninas de São Luís

Foto: IPHAN

Já o Tambor de Crioula é uma dança circular com cantos e percussão de tambores, de origem afro-brasileira, praticada no Maranhão em louvor a São Benedito. O turista pode assistir a uma apresentação ao ar livre, nas praças, no interior de terreiros, ou associado a outros eventos e manifestações. As dançarinas ou “brincantes” vestem saias rodadas e estampadas, além de flores, colares, pulseiras e torços coloridos na cabeça. Já os homens usam calça escura e camisa com a mesma estampa. Os temas, puxados livremente em toadas, podem ser classificados como de auto apresentação, louvação aos santos protetores, sátiras, homenagem às mulheres, desafio de cantadores, fatos do cotidiano e despedida.

As comidas típicas das festas juninas de São Luís

Um “choque cultural” para os demais nordestinos que visitam São Luís no período junino acontece ao conhecer as comidas típicas. Dizem que tem, mas nas barraquinhas de rua não achei nada de culinária à base de milho, nada de canjica, pamonha… Nessa época, você vai encontrar tortas de camarão seco, de caranguejo, peixe (serra ou pescada amarela) frito, camarão frito, patinha de caranguejo… E até churros! Mas não vi um cuscuz.

Nos arraiais, você vai ver muito cuxá – um molho feito à base das folhas da vinagreira (também conhecida como Agrião-de-guiné, Azedinha, Cururu-da-guiné, Graxa-de-estudante, Groselheira ou Hibisco). Este molho pode acompanhar os pratos, que têm arroz branco e a farinha mais grossa maranhense, ou ir no preparo do famoso Arroz de Cuxá – preparado com camarão seco salgado e pimenta-de-cheiro. Uma delícia obrigatória a quem visita São Luís. Para harmonizar, vá de Guaraná Jesus.

Para saber onde comer em São Luís, clique aqui. 

Fique por dentro da programação oficial clicando aqui.

Leia mais sobre o Maranhão:

O que você achou deste assunto? Comente!

Comentários