Afetivo como só ele, um bom café encontra em cada família seu jeitinho de ser preparado. Na minha casa, o pó e o açúcar costumavam ser fervidos em uma chaleira e, então, passados em um coador de pano. A partir daí, se sobrasse, o restante ficava em uma potente garrafa térmica para ser bebericado ao longo dia.

Em conversa com a barista e confeiteira Geórgia Romero, descobri o quanto essas tradições na hora da preparação são valiosas para as histórias familiares – mas contém vários “pecadinhos” que impedem o apreciador de extrair o melhor dos grãos torrados.

Geórgia Romero enumera pecados na hora de preparar um bom café

Geórgia Romero é chef do Café de Bule. Foto: Chico Egídio

“O melhor café é aquele que atende ao seu paladar, causa prazer e desperta memórias afetivas. Mas com algumas adaptações, você tira um café mais gostoso e que não faz mal à saúde“, defendeu a profissional.

Ela enumerou 11 “pecados” que todos nós cometemos na hora de fazer o cafezinho:

1. Comprar o café mais barato e de torra muito escura

No supermercado, escolha marcas gourmet ou que indiquem grãos selecionados, pois possuem menos impurezas. “Torras escuras escondem imperfeições”, destacou Geórgia. Uma boa referência é esta matéria da proteste sobre o assunto.

2. Usar água da torneira

Não faça seu cafezinho com qualquer água. Dê preferência às filtradas, sem cloro, ou até água mineral.

3. Colocar o café na água e mexer com colher

“Sei que seus pais ou avós jogavam o pó na água, mexiam… É um hábito que não devemos levar pras gerações futuras porque acontece um cozimento do pó, alterando drasticamente os sabores”, disse Geórgia.

4. Deixar a água ferver

“Quando o café entra em contato com água a 100°C, ele cozinha. O ideal é tirar a chaleira ou panela do fogo quando a água está formando bolhinhas na lateral, o que significa que ela está a cerca de 90°C”, explicou Geórgia.

5. Colocar açúcar na água do café

Ferver a água com açúcar carameliza a água, o que interfere diretamente no sabor do café. “Sem falar que cada um tem seu grau de dulçor. Há quem tome café sem açúcar! Então é presunçoso já servir o café doce, sem respeitar o paladar do outro ou até suas restrições ao uso do açúcar”, destacou.

6. Usar qualquer filtro de papel, ou não escaldá-lo

“Geralmente o papel é reciclado e tem elementos químicos que são liberados em contato com água quente, alterando o sabor do café. Pela praticidade, o ideal seria utilizar um filtro de titânio – mas ele custa entre R$ 120 e R$ 150. É melhor usar um coador de pano!”, contou a barista.

Como a gente aqui no Terroir prima pela praticidade, simplesmente jogar a água quente no filtro, deixar escorrer e depois coar o café, já dá uma enorme diferença. Faça o teste: escalde e não jogue a água fora. Você vai sentir imediatamente o cheiro de cola e papel que fica no líquido… 🙂

7. Lavar o coador do pano com detergente

A lavagem do coador é feita com água quente, que retira os resíduos sem alterar o tecido. E antes de utilizá-lo, jogue um pouco de água para deixá-lo na temperatura correta para receber a bebida. Depois de higienizado, deixe-o na geladeira e utilize-o por no máximo 3 meses.

8. Derramar água muito rápido no filtro/coador

Para uma extração correta de óleos, sabores e aromas, o ideal é ir derramando a água mais vagarosamente no coador, circulando o pó. Quando o pó sobe, corre o risco do conteúdo não ser bem aproveitado.

9. Deixar o café na garrafa por horas

O ideal é consumir a bebida em, no máximo, 40 minutos. “A partir daí ele começa a oxidar e faz mal ao organismo, causando irritação no estômago e até provocando crises de gastrite. O mesmo serve para garrafas elétricas”, elucidou.

10. Guardar o pó na geladeira

Temperaturas mais altas e exposição à luz podem acelerar a oxidação dos grãos torrados e moídos. Por outro lado, colocá-lo na geladeira e retirá-lo, todos os dias, pode deixar o pó úmido e suscetível a fungos. Guarde seu café dentro do armário, num local fresco da casa.

11. Reaproveitar o pó

Esse é óbvio: todos os óleos, aromas e sabores já saíram no primeiro preparo. Mas se for para fazer uma esfoliação, fique à vontade.

No mais, fique atento à proporção ideal: 1 colher de sopa de pó de café para cada 200 ml de água.

O que você achou deste assunto? Comente!

Comentários